terça-feira, 26 de setembro de 2006

O mundo não cabe nas palavras

Uma flecha nas costelas, sua ponta levemente perfura o músculo cardíaco a cada sístole e cada diástole, o furo renova-se como um fígado, e a isso chamamos fotossíntese.
Todos os corpos vegetais tem uma coerência que se dissipa ao redor de um nome. Deixando de ser coisa e entregando tudo a um pequeno atavismo, o que existe antes de ser nomeado, apesar de nomeado. Substantivos não são destinos.

1 intromissões:

leitora disse...

e eu que já pensava em cancelar a assinatura...e, de repente, uma flecha. mais uma no alvo.