sexta-feira, 3 de agosto de 2007

um corte no pulso...

Um corte no pulso e eu te expulso da minha alma
Que por impulso um dia te trouxe à cama
E que inflama no vaivém dos corpos
E pára assim que estamos mortos
Morto não consigo pensar
Pensando não posso te amar
Como amei um dia

----
(sim, em 93 também eu era um jovem.
Na minha idade hoje, tenho toda a sabedoria da juventude e o vigor da velhice)

1 intromissões:

Fubu disse...

AHUAHUAHAUHAUAHA

Absolutamente incrível...

Aprendi muito com esse seu poema, considerando o contexto aplicado.