quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Death of my little bird

Um grande brother se mudou para uma marmita triplex perto da minha casa. Fui conhecer e é de fato muito show o ape. Fomos então comemorar no meu bar predileto ali das redondezas, o tiro-liro.

Ao passar na frente de uma casa vejo um lindo canarinho no chão parecendo só e perdido. Tento pegá-lo mas ele pula da minha mão. Lembrou minha infância. Tento de novo e ele voa da minha mão...

De trás da árvore, uns dez metros dali, um gato preto salta de repente e abocanha o canarinho!!!

E começa a rodar com ele pra lá e pra cá! Assisto num espasmo de terror a essa cena, beirando às lágrimas, e quando penso em me mexer o brother grita do outro lado da rua "Não interfira! É a natureza!" isso apelou ao meu antigo espírito de documentarista de natureza, quando eu era assistente do lawrence wahba, o mergulhador do fantástico. E não interfiro.

Quase um horroroso e longo minuto depois, o canarinho se solta e voa por um segundo e o gato pega ele de novo. Ele tem chance!!! Mando a não interferencia às favas e corro para libertá-lo, mas o gato foge com o passarinho na boca.

Arrasado descubro que meus amigos do outro lado da rua já tinham visto o gato e o pássaro e era tragédia anunciada. Só eu quase caí pra trás, horrorizado.

meu canarinho... voou da minha mão para a boca de um gato.

Se eu não tivesse, com todo meu afeto, tentado pegar o pobre, teria seu fim sido o mesmo?

Talvez ele estivesse doente... Se estava, coitado do gato!
ai ai

3 intromissões:

Ana disse...

Gostei do texto, um tanto quanto introspectivo, ou será que ando refeltindo sobre o mundo ultimamente?
Beijos

NeuralNoise disse...

e quando eu escrevo algo que, mesmo disfarçadamente, não seja introspectivo?

ana disse...

Não sei...
Só sei que penso, penso, mas não consigo mais escrever. Então me dedico a ler. ;)