terça-feira, 20 de março de 2007

kirin ichiban

Passei a noite praticamente em claro e estava morrendo de sono na hora de acordar. Fiz a barba e levei uma mochila de vinte quilos ate o escritorio. Me assustei com meu velhinho de estimacao, cujas maos tremiam. maos tremem quando uma certa sombra do vale parece se acercar. Tem grandes chances que ele fique bem e torco por isso. Ainda assim, risco ha.
Apos a labuta fui a um bar chamado Le Infant Terrible, que serve picanha a tom jobim e mariscos do porto alegre, ao som de manu chao e garcons possivelmente hungaros. Encontramos um brother diretor de arte e botanista e foi bem divertido. Depois ao cinema assistir The Host, um tipo de king-kong subaquatico coreano, tao ruim que era engracado. Nunca vi tanta conveniencia em um so roteiro. Na volta trinta quarteiroes de caminhada ate em casa, cabeca a milhao, decidi nao ser valvula de escape pra ninguem. Ainda bem que ainda sobrou uma kirin ichiban.

(aprendi a fazer acentos no mac mas me recuso a apertar tres teclas pra conseguir um misero caracter acentuado. eh o cumulo do cumulo)

3 intromissões:

Ana disse...

O que será que anda tirando o sono do mocinho...??
Um beijo!

Fubu disse...

O monteiro lobato escrevia sem acento pq achava bizarro ficar acentuando ja que pelo contexto entende-se o que esta escrito.

NeuralNoise disse...

o monteiro lobato, alem de lobbista do petroleo, eh uma anta. Acento eh bom. O Lobato so queria justificar o fato de que ele escrevia, em vez de pena, com um galho de maca.